quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Bolo de canela e laranja... (receita antiga)

 


Ingredientes


100 ml de sumo de laranja
Raspa de uma laranja
1 colher de sopa de canela em pó
125 g de açúcar
200 g de farinha de trigo
4 ovos
1 colher de chá de fermento em pó



Preparação


Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha.


Numa batedeira eléctrica, bata na velocidade média os ovos, o açúcar e a raspa de laranja até obter uma mistura homogénea.

Adicione o sumo de laranja, a canela e misture cerca de 1 a 2 minutos até incorporar bem.

Reduza para a velocidade mínima, adicione a farinha misturada com o fermento em pó e bata até ficar uma mistura cremosa e homogénea.


Deite o preparado na forma de bolos e leve ao forno cerca de 35 a 40 minutos (o tempo depende do forno). Espete um palito no meio e, se sair seco o bolo está cozido.


Desligue o forno e desenforme o bolo. Deixe arrefecer até à temperatura ambiente e sirva.

Filhós de Fitas de laranja da avó Maria... uma delicia!

 


Para a massa das Fitas:



3 ovos

10g de manteiga sem sal, derretida

10g de azeite

1g de sal fino

10g de açúcar

30g de aguardente

20g de água

250g de farinha

0,5 lt de azeite

50g de farinha de trigo (para ajudar a estender a massa)



Para a calda de laranja:



720g de açúcar branco

100g de sumo de laranja

100g de água

2 laranjas



Descrição


1. Para a calda, leve ao lume 720g de açúcar, 100g de água, 100g de sumo de laranja e a raspa de 1 laranja. Deixe ferver, até que todo o açúcar esteja dissolvido. Reserve.



2. Para a massa das fitas, misture com o gancho, 3 ovos, 10g de azeite, 30g de aguardente, 20g de água, 1g de sal fino, 10g de açúcar, 30g de aguardente e 10g de manteiga sem sal, derretida.



3. Adicione 250g de farinha pouco a pouco, sempre com a batedeira em movimento a uma velocidade média, até obter uma massa homogénea.



4. Envolva a massa em película aderente e deixe-a repousar 2h no frigorífico.



5. Com a ajuda do rolo e um pouco de farinha, estique a massa muito fina, a 2mm de grossura.



6. Num tacho, aqueça 0,5l de azeite.



7. Com uma faca, corte tiras de massa de, aproximadamente, 30cm de largura por 3cm de altura.



8. Com um garfo, agarre uma ponta da tira de massa e enrole dentro do azeite, à medida que vai fritando.



9. Vire as fitas para ganhar cor dos dois lados. Retire as fitas quando já estiverem douradas e coloque em papel absorvente.



10. Passe pela na calda, ainda morna, e escorra bem.



11. Decore com raspa de laranja e açúcar em pó e sirva.

 

Como demolhar na perfeição o seu Bacalhau para a Consoada

 


1. Para iniciar a demolha, passar as postas secas de bacalhau por água fria. O objectivo é retirar o excesso de sal do exterior.

2. De seguida, colocar as postas de bacalhau num recipiente, com a pele virada para cima e de preferência, sem as sobrepor, colocar água fria até encher. Caso usem água saída da torneira, adicionem cubos de gelo para que arrefeça rapidamente. Se tiverem possibilidade, coloquem uma rede ou um suporte no fundo para que as postas não fiquem em contacto com o sal que se vai depositando na base do recipiente.

3. O recipiente escolhido deverá ter o dobro do volume do bacalhau a demolhar e é importante que seja fácil de manusear, pois iremos trocar a água várias vezes. Costumo usar um recipiente de plástico, com tampa.

4. Guardar o recipiente no frigorífico. Muitas vezes, devido ao calor o bacalhau poderá adquirir um odor peculiar. Isto significa que a temperatura da água foi inadequada. Para mantermos a água da demolha sempre fria (inferior a 8ºC), guardar o recipiente no frigorífico.

5. Passadas 2 horas retirar toda a água e voltar a cobrir de água, depois disto, é aconselhável mudar a água de 8 em 8 horas.

6. O bacalhau da Noruega é classificado de acordo com o peso. 

Tempos de demolha por categoria:

- Bacalhau corrente (peso entre 0,5 e 1 kg): 36 horas;
- Bacalhau crescido (peso entre 1 a 2 kg ): 48 horas;
- Bacalhau graúdo (peso entre 2 a 3 kg): 55 horas;
- Bacalhau especial (superior a 3 kg): 72 horas.
É importante ter atenção aos tempos de demolha para que as postas de bacalhau não fiquem, por um lado demasiado salgadas ou, por outro, deslavadas, quase sem sabor.

As postas mais finas, com cerca de 1 cm de espessura (abas e rabo) vão demolhar em menos tempo e são estas as primeiras a retirar. Caso queiram, podem fazer a demolha por tipo de posta, em recipientes separados.

7. Para sabermos se o bacalhau está no ponto de sal desejado, há quem prove, retirando uma lasca. Ou então, podemos inserir um palito numa das postas e provar. Este último é o método que utilizo. Nada melhor do que provar para termos o bacalhau demolhado ao nosso gosto!

Depois de demolhado, o bacalhau pode ser confeccionado de imediato ou congelado.

Como aproveitar o bacalhau:

- Lombos e postas altas: Para assar no forno, na grelha, cozer ou confitar;


- Postas finas: Preparações que não necessitem de lascas grandes. Ideal para usar nas caldeiradas, guisados, gratinados como o bacalhau com natas;


- Abas e rabos: Ideais para receitas em que se use o bacalhau desfiado finamente. Bacalhau à Brás, saladas, açordas. 


Pescado nas águas frias, num habitat puro e gelado, o bacalhau da Noruega, tem características de sabor e textura que o distinguem. Bem seco e curado, com cor palha, depois de capturado o bacalhau da Noruega é preparado de modo tradicional (até aos 47% de humidade máxima) e as postas mais altas, formam lascas bem definidas depois de cozinhadas. Na escolha do bacalhau, a origem é importante. 

 

 

Printfriendly